Observatório Social de Campo Mourão

O que é um OS?

É um espaço para o exercí­cio da cidadania, que deve ser democrático e apartidário e reunir o maior número possí­vel de entidades representativas da sociedade civil com o objetivo de contribuir para a melhoria da gestão pública.

Cada Observatório Social é integrado por cidadãos brasileiros que transformaram o seu direito de indignar-se em atitude: em favor da transparência e da qualidade na aplicação dos recursos públicos. São empresários, profissionais, professores, estudantes, funcionários públicos e outros cidadãos que, voluntariamente, entregam-se à causa da justiça social.

 

Observatório Social de Campo Mourão

Quem Somos?

O Observatório Social de Campo Mourão é uma associação civil sem fins econômicos e sem vinculação polí­tico-partidária, declarada utilidade pública pela Lei 2.667/2011. 

Como Somos Constituí­dos?

É constituí­do por voluntários e funcionários/estagiários que atuam como instrumentos na busca da transparência na administração dos recursos públicos, além de realizar ações de cidadania fiscal.

Quando Fomos Criados?

O movimento para a criação do OS em Campo Mourão surgiu na Associação Comercial e Industrial (Acicam), em 2007, com o movimento ganhando rapidamente a adesão de clubes de serviços, entidades classistas e de outros segmentos da comunidade. O OS de Campo Mourão foi fundado e implantado logo após a criação da entidade em Maringá.

NOSSOS OBJETIVOS

Como Funciona?

Atuando como pessoa jurí­dica, em forma de associação, o Observatório Social prima pelo trabalho técnico, fazendo uso de uma metodologia de monitoramento das compras públicas em ní­vel municipal, desde a publicação do edital de licitação até o acompanhamento da entrega do produto ou serviço, de modo a agir preventivamente no controle social dos gastos públicos. Além disso, o Observatório Social atua em outras frentes, como:

Educação fiscal

a educação fiscal, demonstrando a importância social e econômica dos tributos e a necessidade do cidadão acompanhara aplicação dos recursos públicos gerados pelos impostos.

Inserção das empresas

a inserção da micro e pequena empresa nos processos licitatórios, contribuindo para geração de emprego e redução da informalidade, bem como aumentando a concorrência e melhorando qualidade e preço nas compras públicas.

Indicadores

a construção de Indicadores da Gestão Pública, com base na execução orçamentária e nos indicadores sociais do municí­pio, fazendo o comparativo com outras cidades de mesmo porte. E a cada 4 meses realiza a prestação de contas do seu trabalho à sociedade.